Notícias › 05/09/2016

Em Missa, fiéis agradecem canonização de Madre Teresa

O Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, presidiu na manhã desta segunda-feira, 5, na Praça São Pedro, a Missa de ação de graças pela canonização de Madre Teresa de Calcutá.

“Santa Teresa de Calcutá, com sua incessante oração, fonte de grandes obras de misericórdia corporal e espiritual, foi um nítido espelho do amor de Deus e um admirável exemplo de serviço ao próximo”, afirmou o cardeal na homilia.

Ao recordar que Madre Teresa se definia “um lápis nas mãos do Senhor”, o cardeal disse que ela descobriu nos pobres o rosto de Cristo.

Em Santa Teresa – prosseguiu o cardeal – “descobrimos aquele feliz e inseparável binômio entre exercício heroico da caridade e clareza na proclamação da verdade… fruto de um amor que ‘faz mal’”.

Cardeal Parolin também lembrou o célebre discurso de Madre Teresa ao receber o Prêmio Nobel da Paz em 1979, em que a santa disse: “É muito importante para nós entender que o amor, para ser verdadeiro, deve fazer mal. Fez muito mal a Jesus nos amar, fez mal a Ele”.

“No meu entender, estas palavras são como uma fronteira que, quando ultrapassada, nos faz entrar no âmago da vida da Santa, naquelas alturas e naquelas profundidades que são difíceis de explorar porque passam perto dos sofrimentos de Cristo, do seu incondicional dom de amor e das profundas feridas às quais padeceu”.

Na conclusão da homilia,o cardeal enfatizou que Madre Teresa era um sinal transparente que indicava o céu. E no dia da sua morte – 5 de setembro de 1997 – o céu quis comunicar que uma nova luz se acendia sobre os homens.

“Agora, depois do reconhecimento ‘oficial’ da sua santidade, brilha ainda mais viva. Que esta luz, que é a luz eterna do Evangelho, continue a iluminar a nossa peregrinação terrena e os caminhos difíceis deste mundo! Santa Teresa de Calcutá, rogai por nós”.

Sobre Madre Teresa

Anjezë Gonxhe Bojaxhiu, a madre Teresa, nasceu em 1910 em Skopje, território albanês, atualmente capital da Macedônia. Entrou para a vida religiosa em 1928, com o propósito de ser missionária na Índia.

Em Calcutá, território indiano, a madre passou grande parte de sua vida e realizou um trabalho de caridade que comoveu o mundo. Ela foi a fundadora da Congregação das Missionárias da Caridade e, em 1979, recebeu o prêmio Nobel da Paz por sua atuação missionária.

Madre Teresa morreu em 1997, aos 87 anos, em Calcutá, na Índia. Foi beatificada no dia 19 de outubro de 2003 pelo então Papa João Paulo II e canonizada ontem, 4 de setembro, pelo Papa Francisco.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano