Notícias › 09/09/2016

Bento XVI teve um amor de juventude? Escritor revela em livro

Em uma entrevista ao semanário alemão ‘Die Zeit’, o jornalista Peter Seewald revelou que o Papa Emérito Bento XVI teve um amor “muito sério” durante seus estudos, em sua juventude, e isto fez com que a decisão pelo celibato não fosse “algo fácil para ele”.

Com base na entrevista de Bento XVI, Seewald escreveu o livro “Últimas Conversas”, que será apresentado oficialmente no próximo dia 9 de setembro.

Seewald assinalou que o amor causou “muito tormento” ao então jovem Joseph Ratzinger.

Depois da II Guerra Mundial, explicou Seewald, “pela primeira vez houve mulheres estudantes. Ele era realmente alguém muito elegante, um belo jovem, um esteta que escrevia poemas e lia Hermann Hesse”, o escritor alemão que recebeu o Prêmio Nobel de literatura.

“Um dos seus companheiros de estudos me contou que impressionava as mulheres e vice-versa. Optar pelo celibato não foi algo fácil para ele”, assinalou o jornalista.

Na entrevista ao ‘Die Zeit’, Seewald explicou que o Papa Emérito “está no final de sua vida em paz consigo mesmo” e que fala “sem medo” de suas debilidades, assim como dos seus “impedimentos físicos”.

O livro “Últimas Conversas” é um projeto da editora Garzanti e do jornal italiano ‘Il Corriere della Sera’ e contém, entre outros detalhes da vida de Bento XVI, como foi a sua decisão de renunciar ao pontificado em fevereiro de 2013.

Por ACI