Notícias › 11/10/2016

Arquidiocese do Rio lança campanha para ajudar o Haiti

haitiA Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, em unidade com a Associação São Francisco de Assis na Providência de Deus, que realiza missão na cidade de Porto Príncipe, capital do Haiti, lança a campanha SOS Haiti: “Misericórdia é que eu quero!”. A iniciativa vai enviar recursos financeiros e doações em gêneros alimentícios não perecíveis (preferencialmente leite em pó, feijão, arroz, açúcar, macarrão, farinha e fubá) para a população mais atingida pelo Furacão Matthew, no país.

“Diante da tragédia da passagem do furacão pelo Haiti mais uma vez o país, que já vive uma situação precaríssima, ficou atingido e em uma condição pior. A Igreja no Rio de Janeiro por estar presente num trabalho conjunto com a Associação São Francisco de Assis lança um processo de campanha de ajuda a essa realidade do Haiti. O que nós pedimos são gêneros alimentícios de primeira necessidade, pois são para suprir as questões de maior urgência, e recursos econômicos que possam ajudar a reconstruir a vida das pessoas”, informou o vigário episcopal para a Caridade Social da Arquidiocese, Cônego Manuel Manangão.

As doações de alimentos poderão ser entregues em todas as igrejas da cidade e na recepção do Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus, na Rua Conde de Bonfim, 1033, Tijuca. Os recursos financeiros podem ser depositados na conta da Cáritas da Arquidiocese do Rio – Banco Bradesco, Agência 0814-1, Conta corrente 48.500-4.

Situação no Haiti

De acordo com o oficial de comunicação da Minustah – a força de paz das Nações Unidas no Haiti –, coronel Alexandre Lima, o olho do furacão tocou o solo na cidade de Les Anglais, ao sul da península oeste da ilha. A destruição maior foi numa região circular entre esta cidade e Les Cayes, onde há muitas vilas com casas frágeis e os habitantes vivem da pesca e de plantações pequenas. Segundo Lima, o furacão provocou a destruição completa de casas e devastação de plantações de banana e de outros alimentos nessa região.

O governo haitiano estima que mais 350 mil pessoas necessitam de ajuda humanitária emergencial no país, segundo a Agência Sputnik. “Provavelmente vamos ter problema de falta de comida”, avalia o oficial de comunicação da Minustah.

Mortes

Até o momento, estão confirmados 877 mortos no Haiti por causa do Furacão Matthew, mas a Minustah, embora não faça previsão de números oficialmente, estima mais de mil mortes. Não há registro de mortos entre os soldados das forças da ONU.

Campanha “Alimente a esperança – Ajude o Haiti”

Criada a pedido do arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, como gesto concreto por ocasião da comemoração de um ano da JMJ e da celebração do Ano Arquidiocesano da Caridade, a campanha “Alimente a esperança – Ajude o Haiti”, realizada em 2014, arrecadou 180 toneladas de alimentos beneficiando muitas famílias atendidas pela Associação São Francisco de Assis na Providência de Deus através do projeto “Seja um raio de esperança”. Por intermédio dessa iniciativa, foram criados para atender à população do Haiti – a mais pobre da América Latina – um centro de nutrição, um centro educacional e um ambulatório médico.

Por Canção Nova, Arquidiocese do Rio